Agora Sim, Feliz 2018 ♡

11:00

O ukulele lindão na foto é um Ghost Akahai e está à venda na » Lojalele «
Eu percebi nas últimas semanas o quanto as pessoas consideraram 2017 um ano esquisito, em que quase todo mundo meio que se deu mal (ou pelo menos não se deu super bem). Particularmente falando, 2017 foi um ano pra lá de ok pra mim. Voltei a ter contato com uma parte adormecida de mim, toquei ukulele à beça, minha família de ukuleles cresceu em três novos integrantes, participei de uma audição pela primeira vez na vida, comecei a gravar o meu primeiro EP, lancei meu primeiro single e vou ser titia.

Por outro lado eu tive um número considerável de problemas de saúde em 2017 que prefiro nem comentar. Mas fora isso, eu juro, foi um ano muito legal. Só dezembro que foi bem nada a ver. Fiquei mal humorada do início ao fim e passei a virada do ano com dor de ouvido. Dezembro me frustrou especialmente por ser o mês do meu aniversário e eu fico esperando que o mundo seja lindo na época do natal e, vamos combinar que, quase nunca é o que eu imagino, mas sobrevivi.

Das coisas que dezembro me proporcionou, uma delas foi ficar temporariamente sem o meu laptop. Eu tinha planejado uma série especial de vídeos e posts pra comemorar o aniversário do blog, o meu aniversário, o Natal e acabei sem poder usar por semanas até finalmente conseguir levar na manutenção. Depois de setenta e duas idas e vindas, finalmente o laptop tá funcionando, tudo instalado bonitinho e eu passando horas por dia sentada na frente dele pra deixar as coisas do jeito que eu quero e do jeito que posso. Ah, e eu não sei usar o Adobe Premiere, então os vídeos vão demorar um pouco mais pra sair, porque eu realmente quero aprender a usar.

Mas agora falando sério e parando de enrolar esse tanto, tenho boas expectativas sobre 2018. Não porque esteja jogando tudo nas costas do ano e do Universo, mas porque me sinto mais focada e impelida a fazer acontecer, mesmo que às vezes as coisas não se mostrem tão favoráveis. Acredito firmemente que tudo o que a gente pode fazer é a nossa parte. E a nossa parte é tudo aquilo que está ao nosso alcance. Sempre existe alguma coisa que pode ser feita agora. E nas últimas semanas eu me lembrei que a melhor maneira da gente evitar encher a cabeça de besteira é se ocupar. Seja fazendo algo pra melhorar ou facilitar o nosso dia a dia, seja algo que vai deixar a gente mais perto do que a gente sonha ou seja algo besta, só pra distrair. Manter a mente ocupada é maravilhoso. E é a melhor forma da gente descobrir o que não está fazendo e o que mais pode fazer.

Dito isso, seria ótimo se gente lembrasse mais vezes de arregaçar as mangas e fazer o que precisa, e de elogiar as pessoas, as músicas, os filmes ou qualquer outra coisa que a gente gosta em lugar de reclamar de tudo o tempo todo. Eu acredito que tem muita coisa boa pra acontecer, porque eu quero fazer muita coisa boa. Falei isso na virada do ano passado e é um eterno clichê, mas é verdade: nada vai mudar sem a gente mudar.

Se é arriscar que a gente precisa, então vamos lá. Agora sim, feliz 2018 ♡

• • •

» Follow me «
SpotifyInstagram | YouTube

Deixe seu comentário

Você talvez goste

0 comentários