Nem sempre a gente pode se dar ao luxo de parar, mas precisa

10:30

Você pode ouvir este post em vez de lê-lo, com o auxílio do Vooozer (sim, é a minha voz no áudio):



Nas últimas semanas eu dei uma pausa nas atividades do blog e do canal. Sim, eu já fiz isso diversas vezes e vou fazer quantas forem necessárias para eu não enlouquecer. Quem tem blog e canal no YouTube sabe que isso é bastante trabalhoso e que fazer tudo sozinho sobrecarrega. Eu tenho gente que me dá dicas, ideias, apoio moral e quebra uns galhos valiosos de vez em quando. Mas o trabalho bruto sou eu mesma quem faz. Nisso de me dedicar tanto a manter uma frequência, a entregar algo que as pessoas gostam, eu acabo me deixando de lado. Começo e termino os dias procurando ânimo para continuar fazendo as coisas. 

Eu adoro gerar conteúdo, mas tenho a mania de me envolver em mais coisas do que consigo dar conta e nisso me enrolo em prazos, meu quarto fica uma bagunça, minha saúde acusa e eu volto a recuar. Nunca fui uma pessoa super organizada (e realmente preciso praticar e tentar ser), então qualquer volume maior de trabalho compromete completamente meu rendimento. Isso acaba me deixando frustrada e desanimada. Não queria que fosse dessa forma, então tiro um tempo para pensar e tentar colocar a cabeça em ordem quando acontece.

Não é desistir (desistir não é uma opção), é só calcular o impulso. Eu notei que as coisas funcionam de verdade quando a gente se empenha. Pode não ser na velocidade que a gente espera, mas acontecem. Os itens da minha lista de desejos vão sendo riscados aos poucos. A lista de tarefas me dá um pouco de medo, mas respiro fundo e tento não surtar.

Para fazer o que gosta, a gente tem que fazer coisas que a gente não gosta também. O trabalho que nos encanta tem suas dificuldades e suas partes chatas, que são necessárias e inadiáveis. Eu tenho tentado olhar para essas coisas como uma parte fundamental do todo (porque é o que elas são) e buscado inspiração em outras pessoas, outras histórias e experiências. Me coloco mais perto das coisas que eu gosto para sentir (mais do que saber) a necessidade de passar por todo o processo (por mais cansativo que ele seja) sem pressa e sem ansiedade.

Nem sempre a gente pode se dar ao luxo de parar, mas precisa. Foi o que me disseram e o que eu acatei. E hoje entendo que é necessário fazer uma pausa, ter um dia de ócio criativo, mesmo que você precise disso com mais frequência do que te dizem ser o normal. Não adianta negligenciar os sintomas, porque uma hora a situação engole a gente. Então, se precisar respirar, respire. Não importa que te cobrem, que achem que você é fraco ou que você está perdendo tempo. No final das contas, só você sabe o quanto precisa disso e o tanto de impulso que pode pegar para continuar seu caminho. E, finalmente, dar o seu melhor.

• • •

Me acompanhe nas redes sociais:
Twitter | Instagram | Facebook

Comente! 

Você talvez goste

4 comentários

  1. Como sempre seus textos falam muito!!
    As vezes me vejo assim também, precisando parar e respirar e descansar a mente, que ultimamente não tem parado de trabalhar nem quando durmo, mesmo quando o desanimo bate, ter que falar pra si mesmo que vai dar certo e é só persistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sempre dá pra contar com o incentivo vindo de outra pessoa. E mesmo que dê, ele não adianta muito se a gente não percebe que a maior parte do esforço em acreditar tem que ser nosso. Ninguém vai correr atrás dos nossos sonhos pra gente. Então é bem isso aí mesmo, a gente passa bastante tempo praticando o auto incentivo rs ❤

      Excluir
  2. Que lindo desabafo! Eu já precisei dar um tempo com as coisas do blog, por mil motivos que as vezes nem dá pra contar pros leitores, e nem eles entendem muito como é trabalhoso essa vida na blogosfera. Temos que doar muito de nós e as vezes não há recompensa, e o pior que é realmente esquecemos de nossa vida fora da internet. Mas temos que ter o pensamento de dar uma pausa, para o bem de nós mesmos com o nosso interior. Refrescar a mente e tirar a pressão dos ombros, isso é muito necessário!!! Dê tempo a si mesma, é o mínimo que você faz a si mesma. <3

    Quando tiver um tempinho livre visita o meu blog?! Adoraria te ver por lá.
    Beijos, Karol Vicente. http://www.palavrasambulantes.com/2017/05/resenha-hora-do-vampiro-de-stephen-king.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário, Karol!
      É isso mesmo! A gente se consume tanto tentando fazer as coisas e estar sempre em dia que às vezes se esquece um pouco. Esquece de olhar pra dentro, ver se tá tudo ok e quando acumula não é legal.

      Vou lá te visitar 😘

      Excluir