Fique com a saudade

10:30

Você pode ouvir este post enquanto dá banho na cachorra, procura a brusinha que sumiu ou pensa na vida. É só clicar no player abaixo:

Ela não era do tipo que se apagava e você devia saber. Ela era pássaro livre. Mas você ficou contente em abafar a chama, em vê-la aprisionada. Ela era do tipo que acreditava até perder todas as esperanças, mas você sabia que ela jamais voltaria atrás quando se desse conta que nunca houve verdade. Talvez por isso todos os cenários falsos, as falas programadas, o papel de herói foram seus aliados. Você sabia que ela jamais seria sua se pudesse te ver de verdade, porque ela era real demais pra caber nas suas mentiras. 

Ela era pássaro com a asa machucada, acreditando que não poderia mais voar. Você ofereceu a mão e uma carona. E enquanto prendia a atenção dela com um mundo irreal, mantinha a ferida aberta, pra ter certeza de que ela não iria a lugar algum. Ela tentou voar pra longe várias vezes, mas suas armadilhas a atraíam de volta. Então, ela ficou. Se desiludiu, murchou e chorou vezes demais. Mais do que era necessário, mais do que era aceitável, mais do que era permitido alguém chorar. 

Um dia, como por mágica, ela acordou não curada, mas bem o bastante pra bater as asas pra longe. Longe o bastante pra não te enxergar. Longe o bastante pra não sentir mais, não doer mais, não sofrer mais. E só assim ela conseguiu ver que não precisava do seu cativeiro, do seu alimento, do seu estranho afeto, do seu controle. Ela não precisava cantar pra você, se exibir pra você e nem te agradecer por nada. E ela estava, enfim, livre pra descansar e curar suas feridas. 

Hoje ela voa, ela canta, ela existe e não se esconde. Hoje ela quer mais, ela sabe que pode, que não se apaga e que foi feita para voos altos. De você ninguém mais sabe. Um predador, um mau caráter, um alguém pra se manter distância, um alguém pra nunca mais se ouvir falar. Ela ficou com os olhos abertos, com ensinamentos e lições da vida que não vai mais esquecer. Ficou com cicatrizes, com lágrimas secas no rosto, mas sempre pronta a recomeçar. Ficou com a liberdade, com os sonhos, com o impulso de voo. 

Você ficou com o mesmo. Ficou o mesmo. Ficou pra trás. Ficou com os restos. Ficou à espera de uma resposta pra uma pergunta inventada e sem resposta, mais uma armadilha criada por você. Ficou com o brinde, com o que não preenche, com o que não distrai, com o que não colore, com o que nunca vai ser. Pois fique. Mas fique longe, pois não sabe manter perto. Fique em paz, mas fique onde está. Fique com a lembrança do que poderia ter sido, mas não foi. Fique e entenda que ninguém fica porque você quer, mas porque é bom ficar. Fique com a saudade do que ela nunca foi de verdade quando estava com você.

---


Compartilhe esse texto com alguém que precisa dar a volta por cima 


Live no Instagram toda quinta às 20h30

Você talvez goste

2 comentários