Eu consigo

10:30

Antes do final do dia eu já cansei e desisti pelo menos umas trinta vezes. E é assim todos os dias. Cansar sem descanso. Desistir sem deixar de tentar nunca. É uma montanha russa muito louca e sempre acho que no dia seguinte vou acordar sem querer sair da cama. Mas quando acordo acabo percebendo que ficar sentindo pena de mim mesma é que não vai me ajudar. Então levanto e me ajudo, porque ninguém mais pode fazer isso. 

Eu tento explicar pra quem se dispõe a ouvir. Mas essa disposição nunca é longa o suficiente. E eu volto a tentar traduzir de alguma maneira que faça sentido pelo menos pra mim. Respiro fundo, suspiro e olho pro lado com tédio. Lembro do tanto de coisas que eu acumulei por preguiça e me sinto culpada por ver as coisas perdendo o rumo. Ao mesmo tempo me sinto completamente incapaz de fazer parar, de tomar as rédeas, de assumir o controle daqui por diante. 

Quando sinto a água escorrer pelas minhas costas penso e tento me convencer de que dá sim. Só mais um esforcinho aqui e uma pequena lista de tarefas ali. Me forço e engulo o choro mesmo querendo deitar em posição fetal pelas próximas duas semanas. Acho péssimas todas as minhas ideias e me pergunto por que ainda insisto nisso tudo. 

Eu sei que estou desperdiçando tempo e estresse. Eu sei que seria muito pior de uma outra perspectiva. E aí eu lembro que as coisas não acontecem sozinhas. Não sempre. Não pra todo mundo. Daí desisto de desistir. Canso de estar cansada e penso que são só mais 24 horas. Eu consigo.

Você talvez goste

0 comentários