Poem A Day - O molho de chaves

23:47

Um coração trancado. Um molho de chaves. Cada chave tinha um nome gravado. Nomes de sentimentos. Dos mais nobres ao mais vis. A primeira chave que ela pegou foi a da amizade. Passou meses esperando a melhor oportunidade de usá-la. Quando o dia finalmente chegou, descobriu que aquele coração não se destrancava nem pros amigos. E escolheu outra chave.

A segunda chave que ela pegou foi a do amor. Não deu dois dias e percebeu que não teria uma chance de usá-la tão cedo. Preferiu escolher qualquer outra chave de sentimentos nobres antes de usar essa. A terceira chave foi a da intimidade (ok que ela nunca acreditou muito nessa). Em vinte e quatro horas conseguiu testar essa chave. Teve várias chances e testou todas as vezes. O coração, é claro, não se abriu.

Cansada, tentou a chave da raiva, do ciúme, da arrogância e do egoísmo e, por fim, a do amor. Nada. Havia um coração trancado pra tudo. Ou quase tudo. Depois de desistir, de jogar pra lá o molho de chaves, de se esgotar em tentativas frustradas, percebeu que a única chave que não usou (e certamente a que abriria aquele coração) foi a chave da indiferença.

Mas indiferença não é um sentimento, é?

Você talvez goste

0 comentários