Poem A Day - O delírio

17:44

Estava na hora de investir numa diversão genuína. Aquela esquina tinha perdido toda a graça. Já conhecíamos todos os ângulos dali. Foi nesse momento que começamos a conversar e sugerir localidades, programações, estratégias e até aventuras. Perdemos a pose, rimos juntos e inventamos enredos pra coisas que ainda estavam por vir (e a gente já tinha inventado um script pra seguir). 

Não sei por que é tão fácil se enganar, fazer de conta que estamos num lugar diferente do de agora. É fácil olhar pela janela e ver uma ou várias cenas que nunca vão acontecer de verdade. Mesmo assim não deixo de acreditar em nada, não deixo esperança nenhuma morrer porque viver isso, mesmo que só na minha cabeça, é bom e me mantém viva.

E aí depois de rirmos juntos e projetarmos todo o roteiro perfeito, eu pisquei e o sinal já tinha fechado, já era hora de cruzar a rua. E do outro lado eu te vi na nossa esquina, da qual já conhecíamos todos os ângulos. Você, distraído, pegava alguma mensagem no celular ou qualquer outra coisa que talvez eu nunca saiba. Sim, era mais um delírio. Daqueles que eu nunca deixo de ter toda vez que te vejo.

Você talvez goste

0 comentários