Tudo de novo

16:10

Você não pertencia a este lugar. Você não pertencia a mim. E até agora eu tô tentando entender por que me chocou tanto constatar isso. Eu fiz de conta que não vi? Eu ignorei a verdade porque era uma boa ilusão? Não sei se faz diferença conhecer as respostas. Essa é aquela parte da história que não muda e que eu preciso soltar pra continuar caminhando. Deixar voar pra longe de mim e dos meus pensamentos.

É louco demais notar o quanto uma história mal resolvida continua fazendo parte da gente. Não do mesmo jeito. Não é saudade, não é carinho, não é dor. É só uma forma esquisita de olhar pras coisas e se envolver com as pessoas. Parece que fica sempre um medo de reviver o que foi ruim. Mas ninguém disse que tem que ser igual. 

Outro dia eu li uma mensagem sua e tentei entender as intenções que não ficaram explícitas. Mas lembrei que você não é de meias palavras. Também lembrei o tanto que dói, incomoda e confunde a gente ficar imaginando coisas. Porque detalhes sempre escapam e a realidade não é tão bacana quanto a tela pintada na nossa mente. Então eu fui fazer outra coisa. 

Toda hora eu preciso me lembrar de não contar com você sempre. Preciso lembrar que você não está tão aqui como eu estou aí. Fico dizendo pra mim que você pode sumir ou se ocupar a qualquer momento. Eu preciso manter isso em mente pra não me assustar ou sentir demais a sua falta quando você se for. 

Daí eu lembro que esse também é um pensamento inconclusivo e que você pode querer ficar. 

E aí começa tudo de novo...

Você talvez goste

0 comentários