Lojalele

UKULELE TUTORIAL: O Que É Meu | #Lojalele

14:00


Hello! Vinte anos depois do último vídeo no canal, estou de volta com um tutorial. As pessoas que me conhecem mesmo sabem que não sou muito fã de fazer tutorial. Primeiro porque minha intenção na internet é compartilhar o meu trabalho e ele nada tem a ver com ensinar como se toca. Até porque eu mesma muitas vezes não sei e acho errado querer ensinar não sabendo (ainda tenho um mundo de coisas pra estudar). Mas incentivada (pra não dizer obrigada hahaha) por amigos e a pedido da Lojalele (que patrocinou o vídeo), estou ensinando algo que sei: a minha música! Inicialmente ela foi feita pra ser tocada no violão, mas depois adaptei e no vídeo a seguir, eu ensino como tocar no ukulele. É bem fácil!


Use a hashtag #OQUEEMEUCOVER se quiser gravar a música
e me marque pra eu poder ver e comentar! 

• • •

Follow Me:
YouTube | Instagram | Spotify

Deixe seu comentário

Book Haul

ÚLTIMOS LIVROS QUE EU LI

11:00


Olá, pessoal! Estou de volta e venho compartilhar com vocês 5 das minhas últimas leituras. Este ano, finalmente, eu consegui voltar a ler com uma frequência razoável (quando o sono não me atrapalha haha) e estou bastante feliz com as leituras que fiz até agora. Mas pra este post escolhi apenas 5 deles e os outros eu pretendo trazer futuramente. Vamos a eles!

▶ Quem é Você, Alasca? (John Green)
Livro que peguei emprestado com a Julyanna do blog Sonhos de Paris e está comigo há alguns consideráveis anos e só agora eu li. Não achei que eu fosse curtir a história. Tinha pego uns detalhes e outros por aí, mas quando li achei muito legal. Não a história em si, pra ser bem sincera, mas as reflexões sobre a morte e a vida após a morte que os personagens fazem. Um dos meus trechos favoritos é:

"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente."


▶ Roube Como Um Artista (Austin Kleon)
Já tinha visto várias pessoas falarem bem desse livro e já fazia um tempo que eu tinha ele, mas ainda não tinha lido todo. Nas últimas semanas resolvi finalmente terminar. E roubar como um artista não é exatamente uma novidade pra mim. Sempre fui dessas que se inspira no trabalho de outras pessoas o suficiente pra perceberem que é uma referência, mas não o bastante pra ser uma cópia (porque isso sim é vacilo e é falta total de originalidade). No meu trabalho na internet e na música tenho e tive diversas referências e sou uma mistura de todas elas somadas às minhas vivências. Sobre o livro em si, é uma leitura bem rápida (se você não for enrolado igual a mim) e proveitosa. O conceito de "roubo" que o autor apresenta é super simples de compreender e se você conseguir aplicar, seu trabalho vai ser muito daora.


▶ O Milagre da Manhã (Hal Elrod)
Um dos livros que eu posso afirmar que mudou a minha vida. Mesmo. Ultimamente, depois de uma fase psicológica bem ruim, eu comecei a procurar maneiras de organizar melhor a minha vida, minhas tarefas e o meu tempo (pra não ficar refém dos pensamentos que estavam me fazendo mal). Mas antes de ler o livro eu já estava flertando com conceitos baseados nele. Foi assistindo ao canal da Dóris Baumer e alguns outros vídeos aleatórios que eu comecei a acordar mais cedo (7h30) e adotar uma rotina matinal que me ajudava a olhar pra mim mais atentamente. Nesse meio tempo eu estava flertando com o #5amclub, porém sem ter certeza de que eu teria coragem (ou mesmo vontade) de arriscar acordar tão cedo. Até que finalmente adquiri o livro O Milagre da Manhã e o Hal Elrod foi extremamente convincente sobre acordar mais cedo. Lá se vai pouco mais de um mês em que eu acordo às 5h de segunda a sexta e às 7h aos finais de semana. Não quero mais outra vida.


▶ Outros Jeitos De Usar A Boca (Rupi Kaur)
Estava paquerando esse livro tinha um tempo. E sinceramente eu nem curto livro de poesias, mas tinha uma específica que eu gostava muito, mas nem sabia se estava nesse livro. Como encontrei uma cópia dele por 10 reias naquelas feiras de livros no Centro do Rio, resolvi dar uma chance. Comecei e terminei a ler na mesma viagem do Rio até Maricá. Achei o começo pesado, denso e triste. Mas outras poesias são extremamente verdadeiras, tocantes e a que eu mais me identiquei fala sobre arte e é essa:

sua arte
não é quantidade de pessoas
que gostam do seu trabalho
sua arte
é
o que o seu coração acha do seu trabalho
o que sua alma acha do seu trabalho
é a honestidade
que você tem consigo
e você
nunca deve 
trocar honestidade
por identificação

- a todos vocês poetas jovens


▶ Leia Isto Se Quer Ter Muito Sucesso No Instagram (Henry Carroll)
Já conhecia a existência desse livro há bastante tempo. Mas foi assistindo a um vídeo sobre fotografia (que não tinha relação direta com o livro, mas ele aparecia no fundo do cenário) que eu decidi que precisava ler. Especialmente porque fiquei muito perdida depois que fiz um feed organizado por cor no meu Instagram. Achei que precisava de umas dicas pra sair de onde eu estava e a leitura foi bastante proveitosa. Me deu um norte pro que eu tava fazendo e me fez parar de ter medo de arriscar. Mesmo que eu erre ou ainda não saia tudo como eu quero, a melhor maneira de aprimorar o que eu tô fazendo é fazer. Então voltei a publicar com certa frequência na minha conta do Instagram e estou com várias ideias. ♡

O que você está lendo? Já leu ou quer ler algum dos livros acima? Conta pra mim!

• • •

Follow Me:
YouTube | Instagram | Spotify

Deixe seu comentário

Cinema e TV

Um Brinde Àqueles Que Sonham

11:00


Olá, pessoal! Vou começar esse post dizendo que sim, eu sou daquelas pessoas que é a última a assistir as séries, os filmes, a última a ler os livros do momento e a ouvir as músicas recém lançadas. Parte porque o burburinho me tira o tesão e parte porque o cinema tá caro, então tenho que esperar chegar na TV paga. Então, este é o motivo de eu só ter visto La La Land agora e, porque estamos em 2018 e temos uma lista de coisas a cumprir, decidi falar sobre o filme. Mais precisamente sobre as coisas que me fizeram parar pra pensar sobre a vida (que é basicamente como eu absorvo tudo o que leio, vejo ou ouço).

» Se você é retardatário (que nem eu ) e ainda não viu, ATENÇÃO: pode conter spoiler «

▶ Mais do que saber onde a gente quer chegar, saber por que os nossos sonhos são importantes
Pode ser que eu tenha esquecido boa parte do filme porque demorei a realmente gostar do que eu estava vendo (por favor, não me xinguem), mas não lembro de ter visto a Mia dizer que planejava ser famosa ou rica. Mas lembro dela contar como o interesse dela pela atuação começou. E acho que é bem por aí. Se a gente não sabe por que quer uma coisa, por que ela pulsa dentro da gente, se manter no caminho em busca disso pode ser mais difícil, além da gente não ter a motivação necessária. Quem tem um sonho nunca busca só por buscar.

▶ Tentar é uma constante
Apesar de várias tentativas serem frustradas e deixarem a gente com mais vontade de desistir que de continuar tentando, a gente continua tentando e tentando...

▶ Ter confiança naquilo que a gente faz e defender nossos ideais
Não importa que o dono do bar ache que o jazz não tem mais vez. Não importa que a cultura local esteja morrendo (aliás, importa sim). Importa que você defenda a sua verdade e fuck'em. Não importa se tem casa cheia ou duas pessoas te aplaudindo desde que você esteja certo do que está fazendo e saiba que está fazendo isso bem.


▶ Ter amigos que acreditam na gente e no que a gente faz
Porque sabe como é... Mesmo que a gente saiba exatamente por que persegue os próprios sonhos e tenha convicção no que tá fazendo, o desânimo e a descrença se alojam às vezes e se não tem alguém pra puxar, pra impulsionar, pra dizer "vai dar tudo certo" a gente se deixa abater e desiste de correr atrás. No final das contas, sonhar junto é muito importante também.

▶ É possível realizar os nossos sonhos profissionais e ainda manter um grande amor?
Daí que os dois conseguiram o que queriam, mas foram levados pra longe um do outro e isso dá uma dorzinha no coração de uma pessoa como eu. Mas é inevitável, eu acho. Em alguns casos. No deles foi. E a gente viu que reconstruir a história com ele significaria alguém abandonar o sonho. E não é justo. Acho que o amor liberta, né? Mesmo que não seja aquele amor que vai acompanhar a pessoa pra sempre. Não é justo a gente querer que a pessoa não seja ela e não realize algo que é importante pra ela pra estar do nosso lado. O que estava em jogo não eram pequenas metas, eram resoluções de vida. A dele era ficar e a dela era ir. E, mesmo que cada um tenha seguido um rumo, o carinho e o respeito permaneceram. De uma forma ou de outra a gente vai sempre amar alguém que fez parte de um momento super importante da nossa vida, tipo realizar um sonho.

OBS: Vim do futuro dizer que quando eu escrevi esse post, eu já tinha assistido ao filme com atraso e tô liberando o post com mais atraso ainda. Mas achei que valia a pena tirá-lo da pasta de rascunhos.

E você, o que já aprendeu de legal
assistindo a algum filme? ♡

• • •

» Follow me «
SpotifyInstagram | YouTube

Deixe seu comentário